• Reinaldo Cirilo

O que você ainda precisa entender sobre as Mídias Sociais...


Olá amigos,

Esse tema é recorrente e muita gente costuma escrever sobre as Mídias Sociais/Marketing Digital. Tenho visto muita gente se aventurando neste campo, sem ter o mínimo de embasamento teórico e prático.

Sou um entusiasta das Mídias Sociais, frequentei e tive blogs (a primeira vez que escrevi para um, faz quase 15 anos), frequentei muitas salas de Bate-Papo do Uol, Mirc, ICQ, MSN, Skype, Orkut e muitas outras plataformas. Pude vivenciar a evolução dessas mídias, a maneira como as empresas encaravam e como encaram hoje e o amadurecimento de nós, usuários.

Desmistificando o primeiro grande mito, não existe “Guru” das Mídias Sociais. Não se deixe cair nessa conversa, ou, em apresentações e vídeos apocalípticos bem produzidos. Não existe fórmula mágica, precisa ter muita vivência, observação, transpiração e testar sempre, para poder se dar bem em um relacionamento dentro desse tipo de Mídia.

Pois bem, preciso fazer uma reflexão com vocês, antes de me aprofundar no assunto. A Mídia Social é perturbadora, como já dizia Lon Safko e David k. Brake de maneira brilhante em seu livro: A Bíblia da Mídia Social. Assim como todas as tecnologias são perturbadoras quando surgem. Foi assim com o advento do avião, das ferrovias, carro e telefone. Por ser novo, as pessoas levam um tempo para se adaptar, se inteirar e fazer parte do seu cotidiano.

Se você é um gestor de Redes/Mídias Sociais de uma empresa ou do seu negócio, você precisa estar aberto para envolver seu público de maneira estratégica. Chegou a hora de interagir com clientes ativos e potenciais, colaboradores e outras partes interessadas. Nesse cenário existem 04 pilares fundamentais:

- Comunicação: tradicional e mais aberta (precisa ter pontos de contato, responder nas redes, mandar e-mail pessoais, se tornar disponível)

- Colaboração: troca de experiência (melhorar seu produto e serviço, com base nos comentários dos consumidores, trocar com o consumidor)

- Educação: sensibilidade (educar clientes e funcionários, disponibilizar materiais sobre a empresa, ter canais de comunicação e formação; no YouTube por exemplo)

- Entretenimento: seja leve (conteúdos relevantes, engraçados e com sequência).

Esse é o ponto de partida de qualquer estratégia para as Mídias Sociais. O perfil do novo consumidor hoje é de um jovem, urbano, de classe média, com forte mobilidade e conectado. Tudo para ele, tem que ser instantâneo e eficiente em termos de tempo.

Eles são muito conectados, por isso mesmo chegam a ser distraídos. Por estarem sempre online, confiam muito nas recomendações de seus contatos. Uma pesquisa da Nielsen em 2015, em 60 países, indica que 83% deste público confia mais em recomendação de amigos e familiares do que na publicidade e 66% dão atenção à opinião de outros (mesmo que desconhecidos), publicadas online.

No seu último livro Marketing 4.0, Philip Kotler explica: “A conectividade é, talvez o elemento mais importante de mudança na história do Marketing”. Isso muda tudo, as relações precisam ser quase instantâneas, seu tempo de resposta, de errar e voltar atrás, quase não existem. Ao mesmo tempo, se tiver uma consistência na sua comunicação, ter uma razão de existir (verdade), humanizar o discurso e as relações com seu público, terá chance de converter consumidores em advogados da Marca, que poderão sair em sua defesa dentro das comunidades e nos ataques sofridos. Quando a Marca é séria, os consumidores “até” perdoam certos deslizes, exatamente pela proximidade e do caráter de humanização que você veste para as Mídias Sociais.

Em 2020, segundo o Ericsson Mobility Report citado por Kotler em seu livro, 70% da população mundial terá um smartphone e cerca de 80% do tráfego de dados móveis terá origem neles. Não dá para se esquivar de uma estratégia mais ágil nesse relacionamento.

Importante frisar também, as 03 regras das Mídias Sociais, para poder guiar qualquer estratégia:

Essa é a primeira parte das informações vitais para você entender de uma vez por todas, o sentido dessa nova relação com seu consumidor nos meios digitais. Na minha próxima postagem, vou entrar em detalhes sobre as tão importantes comunidades, quais são os tipos, o que esperar de cada uma e como gerenciar da melhor maneira possível, sem danos à sua Marca.

Até mais.


0 visualização

Apoio

    Gostou da leitura? Doe agora e me ajude a proporcionar notícias e análises aos meus leitores